SIGA-NOS NO FACEBOOK!

Como escolher o pediatra?

A escolha do pediatra do seu bebé é uma das decisões mais importantes para os futuros papás. O ideal é que essa escolha aconteça ainda antes de o bebé nascer e há alguns aspetos que deve ter em consideração para tomar a melhor decisão.

Fale com amigas suas que já tenham filhos e peça-lhes opinião. Pergunte ao seu médico de família e ao seu obstetra se há alguém que aconselhem. Depois, tente reunir informação acerca desses profissionais de quem obteve referências tendo em atenção, sobretudo, o seguinte:

– Horários e locais de atendimento: é melhor optar por um profissional cujos horários sejam compatíveis com os seus, principalmente quando já tiver regressado ao trabalho; é conveniente que o local seja agradável e não tenha o aspeto típico de consultório médico, frio e impessoal; ter jogos e brinquedos que deixem a criança mais à vontade, por exemplo, pode ajudar a evitar o clássico “medo das batas brancas”;

– Disponibilidade: tente saber se disponibiliza um contacto direto a que possa recorrer em caso de urgência;

– Valores: certifique-se de que o pediatra que escolhe para acompanhar o seu filho tem a mesma visão que você no que diz respeito a sono, amamentação, alimentação e vacinação, por exemplo; isto não significa que só aquilo que você defende é que está certo, mas é muito importante que todos tenham a mesma linha de pensamento em alguns destes assuntos para que tudo seja o mais harmonioso possível e você possa, realmente, esclarecer dúvidas e tirar ensinamentos válidos daquilo que o pediatra partilhar consigo.

Naturalmente, algumas questões só vão ter resposta se falar com o pediatra antecipadamente ou mesmo só depois de lá levar o seu filho a uma primeira consulta. Nessa altura, deverá observar a forma como o seu bebé reage e se o estilo e a personalidade do médico se adaptam aos seus. Recorde-se, contudo, que cada criança reage de forma diferente e que há bebés que, simplesmente, se sentem desconfortáveis junto de estranhos, por mais atenciosos e cuidadosos que sejam. O bom senso, nestes casos, é o seu melhor aliado.  Se, ainda assim, considerar que a sua opção acabou por não se revelar a mais acertada, está sempre a tempo de mudar.

O mais importante é que pais e bebés se sintam confortáveis, tenham confiança plena no profissional e saibam que podem contar com ele e com a sua experiência em qualquer situação.

Share this post



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *