SIGA-NOS NO FACEBOOK!

Baby Led Weaning: O que é, como e quando começar?

A alimentação dos bebés é um tema que, geralmente, cria bastante ansiedade nos pais. Por um lado, a alimentação é um meio através do qual os pais sabem se o seu filho está bem de saúde, pois quando um bebé está doente isso repercute-se também na falta de apetite; por outro lado, comer é, hoje em dia, muito mais do que um simples ato de sobrevivência, já que traz consigo uma carga social – a hora das refeições é, muitas vezes, o momento em que a família se junta e conversa. Além disto, os pais preocupam-se cada vez mais com a qualidade dos alimentos que oferecem aos seus filhos e há cada vez mais campanhas de sensibilização para os benefícios de uma alimentação saudável.

Então, por tudo isto, à medida que o bebé vai crescendo, os pais vão criando expectativas em relação ao momento em que o seu bebé vai deixar de beber só leite para começar a partilhar as refeições com a família, com as devidas adaptações, naturalmente.

Por norma, a fase da diversificação alimentar começa entre os 4 e os 6 meses. Os bebés que normalmente começam mais cedo são os alimentados a leite de fórmula, já que para os bebés que bebem leite materno em exclusivo a OMS (Organização Mundial de Saúde) recomenda que a amamentação exclusiva decorra até aos 6 meses.

É, então, nesta fase que os pais começam a pesquisar sobre como introduzir novos alimentos. Nestas pesquisas, começa a surgir cada vez mais o conceito de Baby Led Weaning ou BLW, sobretudo entre mães cujos bebés são amamentados com leite materno em exclusivo.

 

O que é?

O conceito foi criado por Gill Rapley, uma consultora de saúde e parteira britânica e este método consiste em oferecer ao bebé os alimentos em pedaços suficientemente grandes para o bebé agarrar, em vez de triturados.

 

Quando e como começar?

Esta prática não deve começar antes dos seis meses e os pais devem assegurar-se de que o bebé já consegue segurar-se bem na posição de sentado.

Os alimentos devem ser cozinhados (cozinhá-los a vapor, por exemplo, preserva a suas propriedades) e cortados em palitos de tamanho adequado à idade do bebé, de forma a que ele os possa agarrar bem.

O bebé deve partilhar o momento da refeição com os pais, mantendo-se sempre sob vigilância para prevenir o risco de engasgamento.

 

Benefícios:

Com esta técnica, o bebé vai ganhar gosto pela comida, descobrindo texturas e sabores e vai ainda trabalhar a motricidade fina e ganhar autonomia. O facto de o bebé partilhar o momento da refeição com a família vai reforçar os laços entre todos e criar uma rotina que o bebé vai associar a algo positivo.

 

Alguns aspetos a considerar:

– O facto de o bebé no início ingerir pouca quantidade de comida vai fazer com que a sua alimentação possa ter de ser complementada com a amamentação.

– Mantenha uma alimentação variada e equilibrada de forma a que o leite materno possa suprir eventuais necessidades nutricionais que não são colmatadas com o BLW numa fase inicial.

– Fale com o pediatra do seu filho e explique-lhe o que pretende fazer.

 

Para informações mais detalhadas sobre este tema, pode consultar o site da criadora do conceito http://www.rapleyweaning.com/ ou ler o seu livro https://www.wook.pt/livro/os-bebes-sabem-comer-sozinhos-gill-rapley/19279220.

Neste vídeo https://youtu.be/ALAwpqxvfJ8 encontra também algumas recomendações úteis dadas pela Enf.ª Carmen Ferreira do blog Bebé Saudável http://www.bebesaudavel.com/.

 

with love, BBme by Joana Teles

Share this post



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *