SIGA-NOS NO FACEBOOK!

Amamentação: principais dificuldades

A amamentação, ainda que seja um processo fisiológico, envolve, em muitos casos uma elevada dose de paciência e persistência.

As dificuldades podem surgir logo na maternidade ou, então, mais tarde, quando mãe e bebé já regressaram a casa e não têm o apoio próximo e quase constante de um profissional especializado.

Estar informada sobre este tema e sobre aquilo que pode ter de enfrentar vai ajudá-la a lidar melhor com essas situações em caso de necessidade.

Estas são as principais dificuldades que as recém-mamãs encontram no que diz respeito à amamentação:

  • Dor

A dor pode dever-se apenas ao facto de os seus mamilos estarem sensíveis e em fase de adaptação à sucção frequente do bebé. Contudo, avalie se o bebé está a fazer a pega corretamente. Se tiver dúvidas, peça ajuda a um profissional especializado em aleitamento materno. Pode também experimentar posições de amamentação diferentes para perceber qual lhe dá mais conforto. Depois, é importante também que deixe os seus mamilos secarem ao ar, para evitar infeções, e que os proteja com discos de amamentação.

 

  • Pouco leite

É natural que nos primeiros dias não produza muito leite, mas o seu filho também não precisará de grandes quantidades, pois o seu estômago é ainda muito pequenino. Preocupe-se apenas se o seu bebé começar a perder peso. Um especialista em amamentação pode ajudá-la a esclarecer eventuais dúvidas. Não comece a dar suplemento ao seu bebé sem aconselhamento médico, pois isso pode colocar em risco o sucesso da amamentação. Para que a sua produção de leite se adapte às necessidades do seu bebé, amamente em regime de livre demanda, sempre que o seu bebé aparentar ter fome. E descanse sempre que puder, pois o descanso é fundamental para a produção de leite.

 

  • Seios duros

Aquando da descida do leite (por norma entre o 2.º e o 4.º dia após o parto), os seios ficam mais cheios e mais firmes, mas, com o bebé a mamar frequentemente, esta sensação costuma passar ao fim de 24 a 48 horas. Para aliviar os sintomas, continue a dar de mamar e, no banho, faça algumas massagens na zona onde sente o incómodo. Esta massagem alivia o engorgitamento da mama. Se o engorgitamento persistir, se notar vermelhidão na mama ou se começar a ter febre, consulte um profissional de saúde, pois pode desenvolver uma mastite (uma inflamação da glândula mamária).

 

  • Leite a mais

O seu bebé pode tossir quando está a mamar, bolsar e até ficar com cólicas por beber com sofreguidão para conseguir acompanhar a velocidade a que o seu leite sai. Esta situação costuma ser temporária e o seu corpo vai acabar por regular a produção às necessidades do bebé. Entretanto, pode optar por tirar algum leite manualmente, antes de dar de mamar, de forma a diminuir a força da descida do leite e ter sempre por perto uma toalha para ir limpando o excesso que o bebé não conseguir beber. Dar de mamar numa posição recostada também pode ajudar, bem como oferecer o segundo peito só se e quando o bebé reclamar depois de beber esvaziar o primeiro.

 

A amamentação é um processo de descobertas diárias que traz consigo bastantes desafios. Ainda assim, acreditamos que, por todos os benefícios (colocar o link para o artigo sobre os benefícios) que lhe estão associados, vale a pena a sua dedicação.

Share this post



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *